16/10/2015

Espírito Selvagem de Lí Marta (opinião)

Espírito Selvagem de Lí Marta

Alexandra parte de Lisboa em viagem para o Gerês na necessidade de encontrar uma paz interior capaz de a refazer um namoro abruptamente terminado. Gerês um refúgio de longa data para ela, nesse refúgio Alexandra conta-nos o que a levou a tomar essa decisão, as amarguras que passou nas “mãos” de João seu antigo namorado. 
Numa das suas caminhadas de introspeção Alexandra encontra Paulo um turista perdido na serra. Paulo somente está perdido aí, na serra, pois Paulo tem bem certo qual o rumo a tomar na sua vida, mas nem sempre assim foi. 
Nesses breves dias nasce algo entre Alexandra e Paulo, algo que os irá ligar para sempre, uma amizade única, um florescer de um amor verdadeiro. 
Após terminar este refúgio Alexandra retorna a Lisboa e Paulo a Guimarães mas levam com eles a esperança de um futuro em conjunto. Paulo, gerente e dono de um café, tem planos para fazer crescer o seu negócio bem como planos para não esquecer Alexandra. 
Alexandra retomando sua vida em Lisboa, retoma também o relacionamento com seu antigo namoro, João e acaba assim numa prisão sentimental exercida pela contínua chantagem emocional de João.

João que sempre dividiu seu relacionamento entre Alexandra e Helena irá transformar a vida de Alexandra num suplício humano a violência que ele pratica sobre ela é atroz. 
Paulo sem notícias de Alexandra esvanece o seu entusiasmo de um reencontro com Alexandra, mas nunca perde a esperança de um dia voltar a abraçar. 
O terror que Alexandra passa transforma-se em submissão ao seu agressor, a preocupação dos pais não é suficiente para Alexandra se libertar, os amigos são todos afastados por Paulo que reduz o mundo de Alexandra a ele mesmo. Só um milagre poderá ajudar Alexandra, um anjo que sempre esteve com ela é-lhe enviado, surge com a força necessária para ajudar Alexandra a libertar-se deste monstro, Vera, o anjo, amiga de infância de Alexandra quando sente que a amiga está a caminho do precipício estende-lhe o "coração" e no momento mais oportuno irá tentar ajudar a amiga a libertar-se dessa triste vida. 
Lí Marta continua com a sua escrita muito peculiar uma escrita emocional, direta e simples. 
Neste seu segundo livro é notória a liberdade de escrita, personagens bem construídas com um enredo complexo mas fluido, são imensas as histórias que rodopiam em torno de Alexandra, Paulo e João que dão um brilho mais intenso ao livro. 
Lí aborda temas complexos que mexem com o leitor, cria personagens que nos revoltam, que nos dececionam, que nos surpreendem ou que chegamos a nos rever numa dessas personagens.



Um livro que nos fala da vida, não da vida que queremos muitas vezes ler, mas de uma vida real. Um livro com uma abordagem positiva num alerta a temas sensíveis da sociedade atual. Sente-se a mensagem de alerta que a autora pretende fazer chegar ao leitor, retira-se muito deste livro onde a inocência reside somente na escrita.

Adorei o final, inesperado, de algumas personagens.
Um livro que recomendo.

…e mais uma vez:
Um agradecimento especial à autora pela sua disponibilidade para estar presente no debate deste livro no CLBB (Clube Leituras Bertrand de Braga), que com a sua simpatia fez que essa tarde fosse diferente e muito mais agradável.


Obrigado Lí.


1 comentários:

Lí Marta disse...

Não há palavras que cheguem para agradecer o tempo que disponibilizou a fazer este comentário e pelo carinho demonstrado.
Um beijinho da autora,
Lí Marta