11/04/2018

Às Cegas, de Josh Malerman


Opinião:
Uma das razões que me levou a querer ler este livro, foi por causa do filme, não gosto de ver os filmes e depois ler os livros, a outra foi porque nunca leio este género literário, distopia já li, mas pouco.
Bem para começar geralmente só leio à noite, por várias motivos pessoais, de dia só no fim-de-semana, como me assusto facilmente com barulhos e afins, este livro fez com que de vez em quando olhasse por cima do ombro.
 “Não abra os olhos. Há algo terrível lá fora”.(excerto)
 “«o Problema», começa sem dúvida quando a pessoa vê algo”.  (excerto)
Estas frases intrigaram-me do inicio ao fim, o que seria que estava lá fora, que era fatal para qualquer pessoa que olhasse, pois as pessoas estavam a morrer, mas do que? O que é não podiam ver? Uma incógnita para os protagonistas sobreviventes, e também para o leitor. 
Narrado entre o presente e o passado, algo que gosto muito nos livros, inicia-se na actualidade, com a protagonista Malorie e os seus filhos, depois de quatro longos anos em cativeiro, sem ver nada do que se passava no exterior, para continuarem a sobreviver, vão ter de atravessar um rio, numa canoa, de olhos vendados, onde a audição se torna o factor mais importante de tudo.
E voilá, devo dizer que o autor primou por me fazer sentir o medo da protagonista, tão real, tão palpável, lia estas partes com tanta ansiedade e medo, simplesmente aterrorizador, uma viagem alucinante, uma verdadeira odisseia, com passagens arrepiantes.
Mas também o que é narrado sobre o passado, é muito intenso, é nos relatado um cenário de horror em que vivem alguns sobreviventes, enclausurados numa casa com tudo tapado, sem nunca ver o sol ou a lua, sempre de olhos vendados no exterior, onde só podem  contar com a audição, e o olfacto.
O facto de não se poder ver, para mim é aflitivo, é arrepiante, estar a ser observado sem saber quem nos está a observar. Coloquei-me na pele dos personagens, ir para a rua de olhos vendados, e sentir algo roçar-me, ouvir um barulho sem saber do que, horrível. Mas o suspense deste livro está construído no mistério de não se saber o que está a acontecer lá fora, tanto para nós enquanto leitores, como para os personagens, por isso mexe com os nossos sentidos.
Gostava que o autor tivesse explicado o que despoletou toda esta situação apocalíptica, mas ele deixa o leitor na escuridão, às cegas, sim fica por conta da nossa imaginação, o que não gostei foi do desfecho, preferia uma conclusão menos abrupta,  é o único senão a apontar, de resto, gostei muito.
Em suma, Às Cegas, foi para mim uma leitura inquietante, perturbadora, com momentos de terror psicológico, de medo palpável, devido a cenas intensas, recomendo por isso aos amantes do género.  



 

1 comentários:

Suspiros da Bea disse...

Já ouvi falar deste livro há imeeeeeeeenso tempo, mas ainda não tinha sentido aquela curiosidade. Agora também por causa do filme, tenho de admitir, que estou curiosa.